Featured Slider

Tá tudo bem aí dentro?

É dia 27, mês na reta final, mas ainda dá tempo de aproveitar a deixa do Setembro Amarelo e bater um papinho bem íntimo. Não sabe qual o significado do Setembro Amarelo? Vamos lá: Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações. (extraído de www.setembroamarelo.org.br).
Li um artigo esses dias, e os números são assustadores. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) o suicídio já mata mais jovens que o HIV em todo o mundo. Cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio todos os anos e a situação fica ainda mais aterrorizante quando a gente fica sabendo que para cada caso fatal há pelo menos outras 20 tentativas fracassadas.

O suicídio é o ápice do sofrimento psicológico e emocional humano, pois é inimaginável para os psicologicamente e emocionalmente sadios, compreender que alguém seja capaz de abrir mão da própria vida, ainda mais quando se é tão jovem.

Eu não tenho a menor propriedade pra falar sobre pensamentos suicidas já que nunca os tive, tão pouco sobre os problemas emocionais e psicológicos que nele culminam, mas eu posso falar do meu problema, que guardadas as devidas proporções, é também muito doloroso. Eu posso usar esse meu espaço pra tentar ajudar quem porventura esteja passando por algum problema parecido, e pra provar que sofrer de problemas emocionais e psicológicos hoje em dia é mais comum do que se imagina.


No meu caso o problema apareceu cedo, ainda na infância. Nunca sofri qualquer trauma, tão pouco perdas trágicas ou dolorosas, mas eu sentia muitos medos como por exemplo o de ficar sozinha, do escuro, de perder meus pais. Os medos eram tão grandes que aos 5 anos meus pais procuraram ajuda de uma psicóloga infantil. Umas duas ou três sessões e eu estava liberada, pronta pra viver muito bem a minha infância que deveria ser alegre e feliz. E foi mesmo. Aos 13 anos perdi minha avó materna mas soube contornar a dor, superar e viver bem, até que aos 17 anos a coisa desandou. Os medos voltaram, e de uma forma muito pesada. Eu não conseguia sair de casa, tinha pavor de ficar sozinha e quase perto de completar 18 anos me via arrastando meu colchão todas as noites pra "dormir" no quarto dos meus pais. Dormir entre aspas porque eu não dormia. Comecei a sentir falta de ar, taquicardia... Não conseguia comer, a garganta estava travada, tão travada quanto eu que já não conseguia ficar perto das pessoas. Por sorte nasci num lar abençoado, ao lado de pessoas extremamente sensíveis e amorosas que logo perceberam que as coisas não estavam bem. E lá fui eu, juntos dos meus pais, aos 17 anos, em busca de uma ajuda profissional. O diagnóstico era TAG - Transtorno de Ansiedade Generalizada e o tratamento se iniciou de imediato, com sessões de terapia cognitiva e sem medicamentos. A intenção era entender o meu funcionamento e me fortalecer internamente pra que eu mesma pudesse dar conta dessa ansiedade descompassada. É bom entender que a ansiedade é comum e completamente natural, mas no caso da TAG ela é descontrolada, e provoca sintomas completamente paralisantes e dolorosos. Na época, tratei por quase 3 anos. Tive alta mas vira e mexe tenho minhas recaídas. No momento estou novamente fazendo terapia cognitiva depois de duas crises de pânico que me levaram pra Unimed com falta de ar, traquicardia, tremores, formigamento nas mãos e nos pés. É doloroso, é sofrido, mas a gente tem condições de buscar uma vida melhor e é isso que eu quero te dizer!!!


Sempre existe algo a se fazer. Ainda que seu problema emocional não tenha cura, ele possivelmente tem controle! A medicina está avançada, existem milhares e milhares de medicamentos e tratamentos capazes de te ajudar a se libertar de todas as dores, físicas e emocionais. Gostaria de, humildemente, te falar algumas coisas:

1) Você não está sozinho! Existem muitíssimas pessoas com problemas parecidos ou idênticos ao seu, por isso não se envergonhe e não se sinta diferente; 


2) Não sinta culpa por ter problemas emocionais! A gente se culpa, eu digo com propriedade. A gente se culpa porque não deveria ser assim, porque tem certos privilégios e justamente por isso não deveria sofrer tanto, a gente se culpa porque tem amor de sobra na vida e ainda assim não consegue se livrar do problema. Saiba que o externo/social é só um fator desencadeador dos problemas psicológicos e emocionais, que, na grande maioria, surgem mais é por fatores genéticos mesmo;


3) Cerque-se de pessoas que te querem bem! Todos nós temos pessoas especiais na vida, cuja companhia faz bem, dá paz e tranquilidade. Fique pertinho delas :)

4) Busque ajuda! Entenda que existem inúmeros tratamentos diferentes capazes de te ajudar e que não precisa ser tão doloroso assim. Você pode e merece ser feliz, SIM!

5) Fale, fale e fale! Sabe as pessoas do item 3? Elas querem te ouvir, te ajudar e te amar, aproveite <3

Agora pros amiguinhos que não tem problemas psicológicos/emocionais mas convivem com pessoas que sofrem desse mal, só algumas diquinhas preciosas:

1) Seja compreensivo! Não é porque você não entende a dor alheia que ela não existe. Não tente balizá-la de acordo com as suas percepções pessoais. As pessoas são diferentes e o sentir de cada um é único.

2) Abrace! Abraço é um santo remédio. Dá conforto e acolhe a pessoa que sofre...

3) Nunca diga que ela não tem motivos pra sofrer! NUNCA. Uma família estruturada, um bom emprego, beleza, situação financeira estável nunca foram determinantes para a ausência de problemas emocionais/psicológicos. 

4) com imagem:



Seja qual for o seu problema, saiba que sempre existirá alguém disposto a te ajudar, te amparar... 

Busque sua paz, seja feliz e se precisar conte comigo <3

Beijos!


  

Look: Boyish!

Bom diiiiaaaa!!!! Tudo bem?

Perdão pelo sumiço gente, mas não foi intencional. Bloqueios criativos acontecem, e são um pesadelo pra quem bloga, acreditem, é sofrido. Sei que compreendem, vocês são dez, então bola pra frente que a blogueira voltou (denovo rsrsrsrs), e voltou com look :)

Cês sabem que eu curto muito esse estilo boyish né? Roupas e sapatos com pegada masculina, modelagens retas, larguinhas, mas pela primeira vez, o look é "de menino" mesmo, mesmo ("De menino" entre aspas porque eu acredito é na moda livre, sem limitações). 

               

Há tempos eu queria uma camisa assim, num tecido mais durinho, clássica, com modelagem mais reta e larga, mas não achava pra comprar. Pensei "camisas masculinas são exatamente assim, posso tentar". Recorri ao armário do irmão, que tem uma estrutura corporal relativamente parecida com a minha (somos miudinhos rsrsrs) e acertei em cheio. Cor linda, tecido clássico, larguinha, grandinha, do jeito que eu queria *-* A calça vocês já sabem: comprada no setor masculino juvenil da Riachuelo. Look homenzinho total.




Pra compor e dar um toque delicado, escolhi a chocker de bolinhas dourada, nos pés o sapatinho metalizado e bolsinha branca. A mistura dá uma equilibrada entre o masculino e o feminino, concordam?







Eu amei o look, meu irmão ganhou uma sócia e de agora em diante, vou virar frequentadora assídua do setor de camisas masculinas :) 

Beijos

Dobradinha Fashion: Schutz X Renner

Ontem postei nas redes sociais a foto de uma sandália quase idêntica ao modelo Flox da Melissa. A "inspired" está sendo vendida na Riachuelo do centro de Araçatuba e deixou a mulherada doida já que o precinho é quase inacreditável. Hoje temos mais uma dobradinha (SOS não para rsrsrs) e na disputa, a famosona Schutz contra a super antenada Renner. 

Olhem só:



Modelos parecidíssimos, sendo que o modelo da Renner custa quase a metade do modelo da Schutz, e eu posso confessar uma coisa? Achei o modelo da Renner muuuuuito mais bonito rsrsrsrs. 

Creio eu que, do jeito que as coisas estão caminhando, haverão muitas dobradinhas por aqui. A gente agradece <3 

Beijos

Uma pantacourt listrada pra chamar de minha!


Tenho tentado, sempre mais e mais, não comprar de forma irresponsável e impulsiva, tanto que até pensei em fazer um desafio com esse enfoque aqui no blog, mas preciso amadurecer a ideia porque a gente sabe que não é nada fácil resistir a tanta tendência, tanta coisa linda que salta na nossa frente todo santo dia, não é mesmo? Minimizando as cobranças, creio que essa consciência e essa vontade de alcançar um equilíbrio entre comprar e poupar já é um excelente passo pra atingir a mudança efetiva, e eu estou muito feliz por estar consciente e por tentar implementar esse equilíbrio na minha vida. Foi por causa dessa consciência que não comprei a pantacourt listrada perfeita quando tive oportunidade. Mas me arrependi kkkk. Me arrependi porque não passo um dia sequer sem pensar na bendita calça e em todos os looks que eu poderia montar com ela :( Como eu disse, ainda estou caminhando pra atingir o ponto de equilíbrio, e ainda dou minhas mancadinhas, seja comprando algo que eu não preciso, seja desperdiçando "oportunidades" boas. Faz parte do processo... 

Mas indo direto ao ponto do post, sabem o que aguçou esse arrependimento todo??? O fato da peça ser LINDA!



Vocês sabem que eu sou fã de comprimentos midi. Virei mais fã ainda e agora só quero usar isso na minha vida...

Quero pantacourt com listras, porque comprimento midi e estampa listrada é AMOR. Sem mais!











Só uma observação, pra quem partilha desse amor comigo: melhor optar por listras verticais (apesar de uma das inspirações ter listras na horizontal rsrsrsrs. Coloquei pra ilustrar as possibilidades de combinação). A gente bem sabe que pantacourt é danada pra encurtar as pernas então, melhor criar a ilusão de pernas mais alongadas com listras verticais.

Sigo desejando, e não é pouco não...

Vocês gostam?

Beijos


A moda praia - MARAVILHOSA - da Renner!


Tenho acessado o site da Renner numa frequência um pouco maior esses dias, graças ao meu desejo por um sapatinho que eles irão disponibilizar não se sabe quando. Nessas minhas visitas ao site, notei que a loja simplesmente arrasou na coleção de moda praia, confeccionando alguns modelos que esteticamente falando, não fazem feio perto de marcas famosinhas e estilosas. As modelagens estão super atuais e cheias de charme, do tipo que foge do lugar comum, sabem?

Selecionei algumas peças (minhas preferidas) pra mostrar pra vocês essa "antenadice" toda da dona Renner. Olha só:



Top trançado R$129,00 e calcinha R$69,90. Não é uma pechincha, mas a beleza da peça compensa, na minha opinião.





Top com detalhe nas costas R$79,90 cada. Pura lindeza né???



Tem essa belezura com detalhes em crochê. Top R$99,90 e calcinha R$89,90.


A chiqueza parou e ficou nessa calcinha Hot Pant cheia de detalhes. Queria pra mim rsrsrsrs. Custa R$89,90.


 Mais uma lindeza *-* Top R$69,90 e calcinha R$69,90.


Mais um top gracinha, por R$69,90...


E, por fim, essa gracinha cheia de babados que fez meus olhos brilharem muito, muito, muito...Top R$69,90 e calcinha R$69,90.

Tem inúmeros outros modelos lindos no site, vale a visita.

Gostaram?

Beijos 

Achei!!!


Primeiramente: sentiram minha falta???? Espero que sim, e se quiserem, podem comentar com o sim, sou canceriana melosa, vou amar kkkkk.

Voltei gente, e voltei tão empolgada que já consegui fazer vários achadinhos na hora do almoço. Vem ver só:



Oxford nude com solado branquim por R$99,90. Provei e me pareceu muito confortável :) 





Blusa mais fofa, bem primaveril. Estampa floral delicada, babados, tecido levemente acetinado, um amor...








Vestido midi lindinho. Tecido canelado, parece um tricô bem fininho.








Agora meu look preferido. Ninguém discute que o básico tem muito charme né? Amei, amei e amei <3







Saia midi rosé plissada. Toda linda, tecido bom, preço bom, movimento lindo, mas gostei mais dela no cabide que em mim. Preciso frisar que o número é maior do que eu visto, então, talvez não tenha amado ela no corpo por conta disso. 









Essa eu amei. Achei charmosa e a estampa ta linda demais né?

Todos os achadinhos aí de cima foram feitos na Riachuelo do Centro.

Saindo de lá, passei na Pernambucanas e vi alguns sapatinhos interessantes:









Por hoje é isso. 

Beeeijos, de quem estava morrendo de saudade <3